Para quem vale a pena abrir um Ecommerce agora?

Para quem vale a pena abrir um Ecommerce agora?

Ao que tudo indica, os rumos do comércio brasileiro, mais do que nunca, apontam para o Ecommerce.

Especialistas afirmam que esse processo já acontecia e que foi acelerado devido aos efeitos da pandemia de COVID-19. Economicamente, a mudança para as vendas online traz um alívio para os empreendedores, sobretudo os que possuem micro e pequenas empresas.

Mas será que esse cenário do mundo virtual funciona para todo tipo de negócio? Será que os segmentos dos seus clientes serão contemplados por sites e lojas virtuais?

Essas e muitas outras questões, nós discutiremos neste artigo!

Corrida Digital

Quando o cenário de consumo mudou drasticamente, ainda no mês de março, devido ao começo do isolamento social, começava a se intensificar a corrida digital. Nesse sentido, mesmo em suas casas, as pessoas continuaram consumindo. Com isso, era necessário que as empresas pensassem e agissem rapidamente para dar conta dessa nova realidade.

Nessa lógica apostar no Ecommerce passou a ser uma questão de sobrevivência para todo o comércio. No entanto, cabe questionar: será que o comércio eletrônico funciona para todos os segmentos?

5 Razões pelas quais o E-commerce é um bom negócio:

  • Menos custos que uma loja física;
  • Visibilidade para milhares de pessoas em diferentes lugares;
  • Forma segura de trabalhar com equipes enxutas;
  • Não é necessário contar com grandes quantidades de produtos em estoque;
  • Você pode vender a qualquer tempo, mesmo em situações de crise da saúde, como estamos enfrentando nesse momento.

Mas e a crise econômica?

Por certo, em um momento de crise econômica como o que estamos vivendo, vários destes pontos mencionados anteriormente, podem não fazer muito sentido. Você ou seus clientes (se você trabalha com B2B), podem achar que esse não é um momento de encontrar oportunidades.

Porém, o empreendedorismo é feito de tentativas de transformação. A crise atual, assim como a gerada por outras pandemias (gripe espanhola) ou a quebra da bolsa de 1929, criam novos hábitos e mudam a forma de pensar, de se relacionar e de consumir.

Assim, justamente agora, em que o comércio físico está com suas portas fechadas, é necessário criar ou inventar alternativas. E não dá para justificar que a questão é falta de verba ou de conhecimento. Pois há plataformas gratuitas para vendas, além de uma infinidade de canais que disponibilizam tutoriais para que leigos em marketing digital criem suas próprias lojas.

E-commerce para Serviços?

Mas muito se engana se você acha que comércio eletrônico está reduzido apenas a oferta de produtos. Cada dias mais cresce a oferta de serviços em meio digital. Aulas, conteúdos, assessoria de moda, arquitetura, psicologia, personal trainner e toda uma enorme gama de profissionais que pode sim faturar com canais de comunicação com seus clientes por meio eletrônico.

Mas como vender seus serviços no mundo digital?

  1. Essa dica parece ridícula, mas o primeiríssimo passo é criar uma Loja Virtual de Serviços;
  2. Conheça a sua persona e saiba como se comunicar com ela. E tenha a certeza de que mesmo que você queira atender todo mundo, você tem um público específico e deve conhecê-lo muito bem;
  3. Faça personalizações. Mesmo que você não tenha o contato físico com o cliente, demonstre como ele pode se sentir importante;
  4. Forneça o máximo possível de informações e benefícios sobre os seus serviços. O que você faz, que o cara ali da esquina não pode fazer? Quais são os seus diferencias? Se você tiver alguma prova social (depoimentos de clientes, vídeos de cases) isso erá contribuir muito para agregar valor ao seu negócio.

Estes passos não são uma fórmula mágica, mas são poderosos na construção de uma loja virtual realmente eficaz e de comunicação franca com seus clientes e potenciais clientes.

Esteja atento às demandas do mercado e saiba adaptar-se à nova realidade!

 

 

Artigos Relacionados