Quer potencializar os seus lucros?

Seja parceiro Venda ERP

Os 4 erros de marketing mais comuns em empresas SaaS

Os 4 erros de marketing mais comuns em empresas SaaS

O mercado SaaS é de fato uma verdadeira corrida. Pois as empresas precisam alcançar os clientes com produtos relevantes e, ao mesmo tempo, ficar a frente das concorrentes para garantir a longevidade dos clientes ativos.

A oferta de produtos de alto valor agregado como o VendaERP realmente serve como um bom impulso nessa corrida. Mas algumas empresas ainda tropeçam nesse mercado por conta de erros que, apesar de bem comuns, fazem muita diferença nos resultados finais.

Para abordar mais sobre esse assunto, separamos a seguir 4 dos erros mais comuns cometidos pelas empresas do modelo SaaS nos seus planejamentos de marketing digital.

1.    Não realizar campanhas de remarketing

Quanto mais somos expostos a algo, mais familiar isso se torna para nós. Em suma, é sob essa premissa que trata a estratégia do remarketing.

Visto que em média 97% dos usuários não convertem em clientes através da primeira visita à página do produto, mas também considerando que algo os motivou a clicar no link que os levaram até lá, o remarketing consiste em manter a marca “presente” na memória dessas pessoas.

O importante é não desperdiçar os visitantes do site, pois eles têm muito valor. Pelo simples fato de já terem tido algum contato com o produto, mesmo que não tenham evoluído no funil de vendas, eles estão mais próximos de se tornarem clientes do que todo o vasto universo de pessoas que ainda não chegaram até a empresa.

2.    Não utilizar as ferramentas de monitoramento e análise digital.

Toda ação de marketing deve ser sempre baseada em dados, não há lugar para “achismos”. E como dizia o escritor Peter Drucker, considerado o pai da administração moderna, “o que pode ser medido, pode ser melhorado”. O uso dessas aplicações trata justamente sobre isso.

São diversas as ferramentas de monitoramento e análise digital, mas ao menos três são fundamentais para qualquer empresa que pense em vender e anunciar online. A principal delas é o Google Analytics, que toda empresa online deve utilizar. Mas ainda temos o Google Ads e o Facebook Ads.

Apenas os números podem dizer com exatidão o que funciona e o que não funciona no marketing digital. E é aí que entram essas ferramentas. Através delas é possível analisar as taxas de visitantes, conversão, rejeição, entre outras. Esses dados servem de base para as tomadas de decisões do time de marketing.

Esses recursos, que podem ser chamados também de “pixels de marketing”, ainda possibilitam a realização de campanhas de remarketing mais ajustadas em cada plataforma, além de uma otimização das campanhas de mídia paga.

3.    Não definir o ICP e Persona

A definição do Ideal Customer Profile, ou Perfil do Cliente Ideal, possibilita com que os times de marketing e vendas tenham clareza sobre os tipos de consumidores aos quais devem focar suas ações. Uma vez que os times sabem exatamente quem é o cliente ideal da empresa, se torna muito menos trabalhoso identificar e chegar até essas pessoas. Esse menor esforço significa economia e, consequentemente, redução do CAC (custo de aquisição de clientes).

Além disso, ao fechar uma venda com um cliente classificado como “ideal”, o risco de churn também é reduzido. Isso porque para definir o ICP, um dos pontos mais relevantes a ser analisado é justamente a quem o produto mais terá valor.

Outros pontos que devem ser considerados para determinar um cliente ideal podem ser encontrados ao realizar uma análise da carta de clientes já existentes. Encontrar um padrão entre aqueles que tem o maior ticket médio ou que estão a mais tempo juntos a empresa é um bom começo.

Já a persona é a construção detalhada do um cliente, criado em cima da ideia mais ampla que é o ICP. Essa definição direciona a equipe de marketing na produção de conteúdo mais relevante, bem como norteia o time de vendas no desenvolvimento das táticas de argumentação.

4.    Não se relacionar com os leads em todas as etapas da jornada de compra

Segundo Chet Holmes, um dos mais bem sucedidos executivos de marketing dos Estados Unidos, de todas as pessoas que chegam até o produto, apenas 3% delas estão prontas para comprar, outras 7% estão interessadas em saber mais sobre o produto e as outras 90% estão em outras fases da jornada de compra.

O erro de muitas empresas é querer vender apenas para aqueles 3% prontos para a compra ou, no máximo, focar nos primeiros 10%. É um universo muito grande de possíveis clientes “descartados”.

Em tempos passados o vendedor final até era peça chave para a efetivação de uma venda, pois era ele quem apresentava o produto e suas características. Mas hoje o consumidor está muito mais preparado. Todo o caminho anterior à compra é percorrido sem esse vendedor. Uma pessoa não vai mais até uma loja de celulares para descobrir as opções que tem antes de comprar, mas sim chega já sabendo a marca, o modelo e a cor que deseja, por exemplo.

Contudo, as empresas que trabalham o relacionamento também nas fases de aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema e consideração da solução, terão muito mais mercado do que aquelas que atuam apenas na última fase, que é a decisão de compra.

Não deixe de ler!

6 pontos fundamentais para crescer no modelo SaaS.

Sobre Nós

O VendaERP nasceu em 2014, somos a primeira empresa de tecnologia brasileira a criar softwares SaaS no modelo White Label.

Nosso foco principal são softwares empresariais na nuvem, criamos uma oportunidade onde você pode comercializar seus próprios sistemas, utilizando a marca e as cores da sua empresa.

Você não precisa ter conhecimento em tecnologia e programação.

Conheça os nossos serviços se cadastrando no link https://www.vendaerp.com.br/CadastroParceiro

Acesse também a nossa apresentação em PDF https://www.vendaerp.com.br/apresentacao.pdf

Tiago Rosa